Dois novos virus são identificados em pacientes com suspeita dengue

Duas novas espécies de vírus foram identificadas no sangue de pacientes com sintomas semelhantes aos da dengue ou da zika.

Os sintomas se assemelham com o da Dengue assim como febre, dor de cabeça e manchas avermelhadas na pele. Um dos microrganismos pertence ao então gênero Ambidensovirus e foi encontrado em amostra coletada no Amapá.

O outro, presente em amostra do Tocantins, pertence ao gênero Chapparvovirus. Os resultados da pesquisa, apoiada pela FAPESP, foram divulgados na revista PLOS ONE.

“O que mais nos surpreendeu foi encontrar em amostra humana um Ambidensovirus. Espécies desse gênero só haviam sido descritas em insetos, crustáceos e outros invertebrados. Nunca em mamíferos”, contou Antonio Charlys da Costa, pós-doutorando da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) e um dos autores do estudo.

Segundo o pesquisador, espécies diferentes de Chapparvovirus já haviam sido descritas em mamíferos, mas nunca em humanos. E se tratando de ser parecido com o da dengue já fica mais impressionante.

“Ainda não é possível, porém, saber se esses microrganismos estavam ativos no organismo ou se foram os causadores dos sintomas”, disse Costa à Agência FAPESP

Na avaliação de Eric Delwart, pesquisador do Vitalant Research Institute (Estados Unidos) e supervisor do projeto, outros cientistas poderão, a partir desses resultados, investigar se os novos vírus estão presentes em outras pessoas da região ou em outras populações, bem como se há risco de disseminação.

Leia também
FEMA se prepara para declaração de emergência de coronavírus

“Até o momento, não há evidências de que esses vírus tenham se espalhado ou de que sejam patogênicos. Mas é cientificamente interessante encontrar um Ambidensovirus em hospedeiros humanos. Essa descoberta reflete o quão pouco sabemos sobre a capacidade que os vírus pouco estudados têm de infectar diferentes tipos de células”, disse Delwart.

Por fim, o pesquisador ressaltou ainda a importância de reaproveitar amostras clínicas preexistentes em pesquisas voltadas à vigilância de vírus potencialmente emergentes. No caso deste estudo, as então amostras analisadas foram originalmente coletadas por Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacens) de diversos Estados, no atendimento de rotina.

A Dengue é um virus na qual assola os brasileiros há bastante tem.

Fonte: UOL

Mostrar mais

CG ADM

Olá caros leitores!Meu nome é Hericson, mas conhecidos por voce como CG_ADM. Sou o criador da pagina no Facebook e do Site Conflitos e Guerras. Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar
Fechar

Bloqueador de Propaganda Detectado

Por favor desabilite o bloqueador de propaganda