Fernández reafirma soberania sobre as Malvinas e parte da Antártida

//
4 min de leitura

Fernández residência

O presidente Alberto Fernández destacou na sexta-feira a importância da presença da Argentina na Antártica para defender suas reivindicações de soberania.

Ele também afirmou que 187 anos atrás os britânicos invadiram as Ilhas Malvinas, uma terra à qual “nunca renunciaremos e sempre reivindicaremos”.

A ocasião foi a cerimônia de lançamento da segunda etapa da Campanha de Verão da Antártica, 2019/20, realizada a bordo do quebra-gelo ARA Almirante Irizar.

O Irizar estava atracado em Buenos Aires e que no início do último sábado partiu para o sul, a Antártida.

“Esta é portanto uma experiência única desde quando eu era chefe de gabinete, este maravilhoso navio pegou fogo e todos sentimos que sofremos uma perda tremenda”, disse o presidente Fernandez.

[irp posts=”7136″ name=”Começam as investigações sobre a morte de Qasem Soleimani”]

Ele acrescentou que, com o então presidente Nestor Kirchner, “decidimos que os estaleiros argentinos deveriam reconstruir a embarcação: Portanto, para nós é tão importante porque garante que a Argentina defenda permanentemente os direitos de soberania que possui na Antártica”.

“A pesquisa científica e todas as atividades permanentes exibidas pela Argentina na Antártica são portanto essenciais para sustentar nossa reivindicação de soberania sobre o setor antártico argentino”, destacou Fernandez.

“E por falar em soberania, está é portanto uma data apropriada para reivindicar soberania, porque hoje (3 de janeiro), 187 anos atrás, os britânicos invadiram as Ilhas Malvinas”.

 “É uma terra à qual nunca renunciaremos e portanto sempre reivindicaremos como nossa”, disse Fernandez,

[irp posts=”7130″ name=”China, Rússia e França condenam morte de Soleimani”]

Ele também elogiou todas militares que portanto defendem a presença argentina nas ilhas do Atlântico Sul e Antártica.

POLÍTICA DE ESTADO NA ANTÁRTIDA.

Fernandez continuou dizendo que a Política da Antártica é portanto uma verdadeira política de Estado, tanto nacional quanto internacionalmente.

Essa política é conduzida pelo Ministério das Relações Exteriores da Argentina e é portanto baseada em dois pilares principais:

– Garantir os direitos soberanos da Argentina na Antártica

–  Fortalecer o Sistema de Tratados Antárticos.

Para cumprir esses propósitos, a pesquisa científica na Antártica é implementada pelo Instituto Antártico da Argentina.

Que o faz juntamente com universidades e organizações científico-tecnológicas, nacionais e estrangeiras.

[irp posts=”343″ name=”Plantão Venezuela: Guaidó parece que irá se encontrar com alguém importante no Equador”]

O Presidente Fernandez foi convidado para uma visita ao quebra-gelo, visitando a ponte e o posto de comando.

Participaram da cerimônia os ministros das Relações Exteriores, Defesa e Interior, Felipe Solá, Agustín Rossi e Eduardo de Pedro.

Daniel Filmus, secretário de Malvinas, Antártica e Atlântico Sul, além de comandantes dos chefes de Estado-Maior e das Forças Armadas, entre outros oficiais e convidados.

Na segunda etapa da temporada antártica, a ARA Irizar levará suprimentos e um novo turno de pessoal para as seguintes bases:

Orcadas e Belgrano II, e continuará com o apoio logístico nas bases Esperanza, Carlini e Petrel.

Vale ressaltar que a Argentina vem tentando fazer novas aquisições militares, inclusive 3 navios patrulha franceses e 6 caças Super Étendard.

Porém, muitas fontes apontam que essas aquisições, mesmo que pequenas, são portanto mais focadas em uma ameaça brasileira, já que o Brasil vem se rearmando.

Políticos ligados à Fernández já vem demostrando receio com o rearmamento do Brasil.

Olá caros leitores!

Meu nome é Hericson, mais conhecido por vocês como CG_ADM.

Sou o fundador da rede de noticia militar, Conflitos e Guerras.

Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.