Bolsonaro: Brasil se preparando para atos de terrorismo iguais ao do Chile

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse está preocupado com o que ele classificou de atos de terrorismo no Chile e que o Brasil precisa está preparado.

Em declaração feita em coletiva de imprensa realizada no sábado (23) depois participar de evento militar, Bolsonaro disse o seguinte:

“Pelo menos o que eu estou vendo em alguns países, há um excesso, pelo menos no Chile. Aquilo não são manifestações, são atos de terrorismo.”

E complementou dizendo:

“Temos que preparar sempre para não sermos surpreendidos. Até o momento, não tem motivo nenhum, nós entendemos dessa forma, para que esses movimentos venham pra cá. Nunca o Brasil viveu numa normalidade democrática como vivemos no momento.”

Bolsonaro já havia deixado claro que o exercito estaria em alerta para conter possíveis protestos violentos iguais aos que ocorrem no Chile.

Leia também
Bolsonaro coloca militares em alerta para possíveis protestos como os do Chile

Os manifestante exigem que o presidente chileno, Sebastián Piñera realize reformas sociais e acabe com a corrupção no país. Entretanto, outros grupos mais radicais, exigem a renuncia de Piñera.

Assim como no Chile, a America do Sul, vive um outro foco de protestos violentos, que agora ocorre na Colômbia. Vários grupos de oposição ao presidente colombiano, Ivan Duque, exigem reformas sociais, melhores condições de ensino, combate ao crime organizado e mais segurança.

Há também grupos mais radicais, que também estão exigindo a renuncia de Ivan Duque.

Bolsonaro se Preparando

Ao que tudo indica, o presidente Bolsonaro está preparando o Brasil para o pior e isso fica claro na sua determinação em aprovar o projeto de lei que amplia o conceito de excludente de ilicitude para agentes de segurança e militares que participarem de operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Leia também
General Mourão é alvo de criticas no próprio exercito apos sugerir intervenção militar no Brasil

Em sua conta do Twitter, Bolsonaro postou o seguinte:

“Quando um governador pede GLO é porque ele não mais consegue manter a ordem com seus meios.

A tropa da GLO não é para fazer relações públicas, ela vai para se impor, conter ações terroristas, depredação de bens, queima de ônibus, evitar que inocentes morram, etc.”

E complementou em um segundo Twitter.

“No mais, para enfrentar a esses marginais, é que se faz necessário o Excludente de Ilicitude.

Os integrantes das FFAA, PF, PM, PRF, PFF, PCivil e CBM merecem, em operação, zelar pela própria vida e sua liberdade após o cumprimento da missão.”

Isso em termos, é um aval para que policias, agentes de segurança e soldados do exercito, ajam de forma mais ostensiva contra atos de violência e não sejam punidos pelo o seu excesso de violência.

Portanto, Bolsonaro deixou claro, que em uma GLO, tanto as Forças Armadas, Policias Federais, Policia Militar, Policia Civil e Agentes de Segurança, irão para o enfrentamento de forma não pacifica e sim de forma bastante ostensiva e que excessos poderão ser isentados.

Leia também
Carlos Bolsonaro insinuou um golpe militar no Brasil?

Em outras palavras, é combater violência com violência. E se o governo federal, está se preparando para um cenário de violência, ou terrorismo, na qual tenha que ser empregada formas enérgicas por parte das forças militares.

Então estamos caminhando para uma situação equivalente ao que está ocorrendo tanto no Chile, quanto na Colômbia.

 

Mostrar mais

CG ADM

Olá caros leitores!Meu nome é Hericson, mas conhecidos por voce como CG_ADM. Sou o criador da pagina no Facebook e do Site Conflitos e Guerras. Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar
Fechar

Bloqueador de Propaganda Detectado

Por favor desabilite o bloqueador de propaganda