Bolsonaro coloca militares em alerta para possíveis protestos como os do Chile

/
3 min de leitura

Militares Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro acionou o Ministério da Defesa para monitorar possíveis protestos no Brasil semelhantes aos que ocorrem atualmente no Chile.

Se preciso, afirmou que o governo brasileiro vai acionar as Forças Armadas Brasileiras para controlar os distúrbios nas ruas.

Leia também: Brasil decide retomar mineração de urânio e ampliar programa nuclear

Até o momento, confrontos entre policiais e manifestantes chilenos contrários ao governo de Sebastian Piñera, aliado de Bolsonaro, deixaram ao menos 15 mortos.

“Nós nos preparamos. Conversei com o ministro de Defesa (Fernando Azevedo) sobre a possibilidade de ter movimentos como tivemos no passado, parecidos como o que está acontecendo no Chile”, disse o presidente nesta quarta-feira.

O presidente Bolsonaro está no Japão em seu último dia de viagem a Tóquio, amanhã ele embarca para Pequim, na China.

Leia também: Brasil e Egito assinam acordo para venda de laticínios para o país árabe

Segundo Bolsonaro, O ministro Azevedo informou os comandantes das Forças Armadas sobre as preocupações do governo.

“A gente se prepara para usar o artigo 142 da Constituição Federal, que é pela manutenção da lei e da ordem, caso eles (integrantes das Forças Armadas) venham a ser convocados por um dos três Poderes”, disse o presidente a jornalistas.

Leia também: Trump e Bolsonaro falam em mais sanções contra Cuba e Venezuela

Bolsonaro voltou a destacar que está preocupado com conflitos que ocorrem em quase todos os países da América do Sul.

O presidente Também reclamou mais uma vez de manifestações feitas pelo senador Humberto Costa (PT-CE) contra o governo.

Leia também: Bolsonaro critica mais uma vez Macron

“O último país em ebulição (da América do Sul) é o Chile e o senador Humberto Costa, apesar da estatura dele, um senador anão, não deixa de estimular as massas para o confronto”, afirmou.

FORO DE SÃO PAULO.

O presidente também repetiu que os integrantes do Foro de São Paulo, grupo criado por partidos de esquerda no início da década de 1990, poderiam estar por trás dos protestos.

Leia também: Trump e Bolsonaro em discurso conjunto defenderam novas sanções econômicas contra Cuba e Venezuela

“A intenção deles é atacar os EUA e se auto-ajudarem para que seus partidos à esquerda tenham ascensão. Dinheiro nosso, brasileiro, do BNDE, irrigou essa forma de fazer política”, disse.

FONTE: O ESTADO DE SÃO PAULO E SITE TERRA.

Olá caros leitores!

Meu nome é Hericson, mais conhecido por vocês como CG_ADM.

Sou o fundador da rede de noticia militar, Conflitos e Guerras.

Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

3 Comments

  1. Este ANÃO QUER ISTO MESMO. ELE É SEUS “CUMPANHERO” DE PT E ALIADOS LAVADOS CEREBRAIS. ABSURDO.INCITANDO A VIOLÊNCIA PELO PAIS.MAS ESPERAMOS QUE NÃO HAJA BADERNA. SE NÃO a ? VAI FUMAR E A ? VAI BEBER ÁGUA!

  2. Se for necessário acionar o art. 142 da CF para manter a ordem e conter os baderneiros marginais de esquerda comunista, comandados pelos partidos como o PT, PSOL, PCdoB etc.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.