ASIACHINAMUNDO

Marinheiros da China sequestrados no mar de Camarões

Nove marinheiros da China e oito marinheiros ucranianos foram sequestrados depois que dois navios mercantes foram atacados em águas de Camarões, segundo um relatório. 

“Dezessete chineses e ucranianos foram sequestrados onde nove chineses foram sequestrados em um dos navios”, disse uma autoridade não identificada no porto de Douala à agência de notícias AFP nesta sexta-feira.  

As nacionalidades também foram confirmadas por um oficial de segurança camaronês, que falou à AFP sob condição de anonimato.

Leia também: Hong Kong: Militares da China alertam manifestantes

Uma fonte da marinha disse que as forças de segurança de Camarões lançaram uma busca pelos sequestradores.

A agência de notícias russa TASS citou na sexta-feira uma declaração do Ministério das Relações Exteriores da Rússia dizendo que três dos marinheiros sequestrados eram cidadãos russos. Muitos ucranianos também possuem cidadania russa.

O ministério disse que os diplomatas russos estão cooperando ativamente com o governo de Camarões para garantir a libertação dos sequestrados.

Pirataria e roubo de petróleo 

Na Malásia , Noel Choong, que dirige a Agência Marítima Internacional (IMB), uma agência de vigilância, disse que os 17 marinheiros foram apreendidos de dois navios que foram atacados dentro de horas um do outro enquanto estavam ancorados em Douala.

Choong disse que um dos navios era um navio polivalente de propriedade alemã que navegava com a bandeira de Antígua e Barbuda.

“Oito tripulantes foram sequestrados do navio, consistindo de um total de 12 marinheiros asiáticos e europeus”, disse ele.

No entanto, a declaração do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que os criminosos atacaram um navio cargueiro navegando sob a bandeira de Antígua e Barbuda, que  pertencia à empresa dinamarquesa Ultrabulk.

O outro navio que foi supostamente atacado foi um graneleiro de bandeira liberiana gerido na Grécia com um proprietário grego.

“Havia 21 tripulantes a bordo, todos eram asiáticos sendo que nove tripulanates foram levadas”, disse Choong à AFP. “

O IMB emitiu um aviso a todos os navios em Douala. Pedimos a todos os navios que tomem precauções adicionais.

O IMB descreveu recentemente o Golfo da Guiné como a área mais perigosa do mundo para o transporte marítimo.

De acordo com suas estimativas, 73% de todos os sequestros e 92% dos reféns ocorrem lá, com os piratas normalmente levando os marinheiros em troca de resgate. 

Os 17 países do Golfo da Guiné e regiões adjacentes têm limitada capacidade de vigilância e defesa marítima. 

Eles vêm tentando há vários anos reforçar seus meios de intervenção e estabelecer uma colaboração mais estreita.

Fonte: Aljazeera

CG ADM

Olá caros leitores! Meu nome é Hericson, mais conhecido por vocês como CG_ADM. Sou o fundador da rede de noticia militar, Conflitos e Guerras. Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Don`t copy text!
Fechar

Adblock detectado

Olá caro leitor Detectamos que você utiliza um bloqueador de propagandas. Se puder desabilitá-lo enquanto ler nossas noticias, ficaremos agradecidos