Perdido na guerra da Líbia? O Conflitos e Guerras explica para você

/

A guerra civil na Líbia, que já dura cerca de 4 anos e pode virar uma guerra envolvendo outros países locais,, ainda é desconhecidas e não compreendidas por muitos.

O Conflitos e Guerras então resolveu explicar a vocês leitores, todo o desenrolar dela.

O Começo

Após a queda do então líder da Líbia na época, Muamar Kadafi vários grupos locais começaram uma disputa pelo poder, mas em seguida, ocorreu uma especie de processo politico de transição, onde um novo governo ocuparia o comando da líbia, porem, em 2014, esse processo foi abandonado, mesmo ano em que o General Haftar declarou que tomaria o poder.

Leia também: Guerra na Líbia: Soldados estrangeiros são filmados lutando contra as forças de Haftar

O governo interino de Trípoli, sem uma força militar solida, passou a ser defendida por grupos e milicias locais, porem, de forma bastante desorganizada. Já Haftar, conseguiu se estabilizar como uma força militar coesa ao leste, formando-se então, dois governos paralelos na Líbia, o do oeste, controlado pelo governo de transição e o do leste, controlado pelo General Haftar.

Apesar da disputa pelo poder, o Banco Central líbio, pagava os salários dos servidores públicos no leste, incluindo os soldados de Haftar. Em contra partida, o governo do oeste tinha autorização para vender petróleo através dos portos controlados pelo leste.

Mas esse clima cordial não durou muito tempo… As forças militares controladas por Haftar, invadiram um dos maiores campos de petróleo do país, que fica em Sharara. Esse campo era controlado pelas forças do oeste.

Temendo que Haftar avançasse até Trípoli, as forças militares do oeste preparam um forte sistema de defesa pela capital do país, e organizou alguns ataques preventivos.

Você também vai gostar de ler: Forças do Estado Islâmico “Daesh” atacam forças do Marechal Haftar no sul da Líbia

Apesar dos esforços do então criado “Governo do Acordo Nacional”, conhecida com a siglas inges de GNA (Government of National Accord), as forças da Haftar, agora conhecidas como Forças Armadas Líbias, ou LNA na sigla inglês para (Libya National Army) fizeram o inevitável, e avançaram até a capital Trípoli.

Haftar chegou a ficar 11 quilômetros ee conquistar toda Trípoli, mas a GNA conseguiu repelir a ofensiva, forçando as tropas da LNA recuarem.

A estrategia de Haftar, era de tomar os locais controlados pela GNA e fechar acordos com os combatentes e milicias locais, para que os mesmos entrassem para a sua milicia. Essa estratégia deu bastante certo, porem, não no local onde ele mais almejava… Trípoli.

Suas varias tentativas de invasão, acabaram por incitar a revolta de vários grupos rivais a LNA, alem de outras milicias que lutavam umas contra as outras, mas que agora declararam lealdade a GNA, Isso foi um grande revês a Haftar, que agora alem da GNA, viu o seu maior rival, a milicia de Misrata, declarar apoio a GNA.

A milica de Misrata, enviou então, um grande comboio militar para Trípoli, com a intenção de conter os avanços da LNA.

Agora a líbia está em uma guerra bastante avançada, tendo Haftar a vantagem militar e o apoio de algunss países ocidentais e orientais.

Antes do inicio dessa guerra entre leste e oeste, um acordo de paz foi proposto pela comunidade internacional, na qual previa o fim dos confrontos entre as varias milicias no país e algumas facções, porem, depois da invasão da LNA, esse acordo foi rejeitado e a situação na Líbia se tornou ainda mais incerto.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.