Congresso dos EUA considerará o reconhecimento da soberania de Israel sobre as colinas de Golan

/
19 de maio de 2018 – 09:09:22 
O Congresso norte americano deve considerar uma nova medida para reconhecer a soberania de Israel sobre a região das Colinas de Golan que separa Israel da Síria, uma parte fundamental do território que se tornou mais importante desde que a guerra civil na Síria trouxe vários combatentes jihadistas, incluindo aqueles apoiado pelo Irã, para aregião.
O deputado Ron DeSantis (R., Flórida), membro do Comitê de Relações Exteriores da Câmara, apresentou na quinta-feira uma resolução que poderia levar ao reconhecimento histórico dos Estados Unidos de que a área contestada pertence a Israel, segundo uma cópia da emenda obtida pelo Washington Free Beacon.[post_ad]
Israel anexou as Colinas de Golã em 1981 após a Guerra dos Seis Dias no final dos anos 60 contra as nações árabes da região. Os Estados Unidos vêm declinando há décadas a tomada de decisão sobre o status desse território, mas seguindo a decisão do presidente Donald Trump de transferir a embaixada dos Estados Unidos em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, DeSantis e outros vêem uma oportunidade para os Estados Unidos reconhecerem que as Colinas de Golã faz parte de Israel
A emenda coloca os Estados Unidos do lado de Israel na disputa pelas terras e descreve as Colinas de Golã como uma peça chave do território que não pode cair nas mãos do Irã, que reivindicou na Síria e continua a ameaçar a fronteira norte de Israel.

“É o sentido do Congresso que as Colinas de Golã representam uma parte integrante do Estado de Israel e são cruciais para a capacidade de Israel de proteger suas fronteiras e manter sua existência”, afirma a medida.

“Dada a guerra civil na Síria e a expansão da influência iraniana na Síria, os Estados Unidos deveriam reconhecer a soberania israelense sobre as Colinas de Golan”, acrescenta a emenda.

O Comitê de Regras da Casa está de posse da medida, mas ainda precisa tomar uma posição.
DeSantis disse ao Free Beacon que as Colinas de Golan é um território chave para frustrar a influência iraniana em toda a região e o reconhecimento dos Estados Unidos de que esse território faz parte da soberania de Israel, poderia enviar uma mensagem poderosa a toda região.
“O contínuo tumulto na Síria e a firme expansão da influência iraniana, ilustram por que as Colinas de Golã são tão importantes para o Estado de Israel e a aliança antiterror”, disse DeSantis.
“O Golã fornece a Israel um amortecedor necessário contra os atores malévolos que estão causando estragos na Síria”.

“Se Israel for forçado a devolver o território, ele se deixará vulnerável a um aumento nos ataques terroristas das forças controladas pelo Irã e outros atores malévolos que usariam a região de Golan para realizar ataques contra os irsraelenses”, disse DeSantis.

“De fato, Israel seria pressionado a evitar tais ameaças sem o Golã”, explicou o legislador. “Dado o interesse dos EUA em reverter a influência iraniana e combater o terrorismo, é hora de os Estados Unidos reconhecerem a soberania israelense sobre as Colinas de Golã”.

Assim como o recente reconhecimento dos Estados Unidos de que Jerusalém é a capital de Israel, o reconhecimento de que as Colinas de Golã não podem ser devolvidas à Síria, representa uma realidade factual no terreno, disse DeSantis.

“Não há cenário concebível em que faça sentido para Israel abandonar uma localização estrategicamente significativa para que os terroristas possam preencher o vácuo deixado para trás”, disse ele.

Fonte: The Washington Free Beacon

Olá caros leitores!

Meu nome é Hericson, mais conhecido por vocês como CG_ADM.

Sou o fundador da rede de noticia militar, Conflitos e Guerras.

Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.