O Exército Livre da Síria FSA acusa Assad de mais um ataque químico

01 de junho de 2017 – 18:20:07

O grupo rebelde Failaq Al-Rahman, do Exército Livre da Síria (FSA), acusou Assad de realizar um ataque com armas químicas na sexta-feira (30).

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Eles manifestaram sua reivindicação apenas quatro dias depois que a Casa Branca dos EUA divulgou uma declaração, advertindo que um ataque químico era iminente e prometia fazer com que o governo sírio “pagasse um preço pesado” se outro desses incidentes ocorresse.
A última vez que as alegações de um ataque químico realizado pelo exercito sírio SAA foram expressas principalmente através de vários relatos de mídia social da oposição síria, o presidente dos EUA, Donald Trump, levou-os como motivo para bombardear a base aérea de Shayrat usada pela Força aérea síria e as tropas russas com 59 mísseis Tomahawk.
As alegações parecem questionáveis, uma vez que a ONU anunciou em junho de 2014 que o governo sírio havia destruído voluntariamente todas as armas químicas e em sua posse e todos os meios para sua produção no âmbito de um acordo com a ONU.
Enquanto o conflito sírio em 2017 já viu vários bombardeios realizados pelas forças dos EUA contra o SAA e seus aliados, especialmente no sudeste da Síria, ao redor da fronteira de Al-Tanf, detidas pelas forças da FSA apoiadas por tropas embutidas dos EUA, tais alegações são alarmante. 
è esperado um ação bem dura por parte de Trump, caso seja confirmado esse “novo ataque químico”
Fonte: Almasdar News

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.