Brasil cede bases para voos de aviões militares da Inglaterra para as Malvinas, Argentina exige expilações.

02 de março de 2017 – 17:03:49 

A Argentina apresentou um protesto ao Brasil por hospedar aeronaves militares britânicas que voam para as Ilhas Malvinas. O governo brasileiro diz desconhecer esses voos.

O governo argentino disse que a Royal Air Force realizou 18 vôos entre as Malvinas e aeroportos no Brasil nos últimos dois anos. Buenos Aires chamou-os de ruptura de acordos entre países sul-americanos.
O Ministério das Relações Exteriores argentino disse em um comunicado que estava “preocupado” com seis vôos no ano passado e 12 em 2015. O ministério disse que pediu uma explicação ao governo brasileiro, lembrando o compromisso do país de “não permitir aviões ou navios de guerra britânicos nos arquipélagos disputados “.

“O Ministério das Relações Exteriores brasileiro reafirmou seu apoio ao nosso país nesta questão e disse que não tinha conhecimento desses vôos”, disse a declaração argentina.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil não fez comentários imediatos sobre o assunto.
A Argentina perdeu uma breve mas sangrenta guerra com a Grã-Bretanha depois de invadir o arquipélago do Atlântico Sul em 1982.
A guerra sobre as ilhas conhecidas pela Argentina como as Ilhas Malvinas, custou a vida de 649 argentinos e 255 militares britânicos.
Durante seus oito anos como presidente da Argentina, Cristina Fernandez tentou pressionar a Grã-Bretanha para conversar sobre a soberania das Ilhas, afastando navios britânicos, incentivando as empresas a se desvencilhar da Grã-Bretanha e levantar outras barreiras comerciais. 
As tensões diminuíram desde que o empresário Mauricio Macri a sucedeu como presidente em 2016, prometendo uma postura menos conflituosa.
Na maior descoberta em décadas, a Grã-Bretanha e a Argentina anunciaram em 2016 que iriam trabalhar para eliminar as restrições nas indústrias de petróleo, pesca e navegação que afetam as Malvinas. 
Eles também concordaram em aumentar o número de vôos entre as ilhas e a Argentina.
As Malvinas são internamente autônomas, mas a Grã-Bretanha é responsável pela defesa e pelos assuntos externos.
A Argentina alega que a Grã-Bretanha ocupou ilegalmente as ilhas desde 1833. A Grã-Bretanha discute isso e diz que a Argentina está ignorando os desejos de seus 3.000 moradores que querem permanecer como um território britânico.
Fonte: The Guardian

Mostrar mais

CG ADM

Sou o fundador da pagina Conflitos em Guerras, a qual foi criada em 2014. Sou uma pessoa que trabalha como todo brasileiro e não recebo ajuda nem do governo e nem de empresas mandar a pagina e o site. Não sou formado em jornalismo, faço esse trabalho por gostar muito de deixar as pessoas informadas sobre esse seguimento na qual não tem muita cobertura das grandes mídias. Caso queria entrar em conta, envie um e-mail para o endereço [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Don`t copy text!
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios