AMÉRICASBRASIL

Separatismo no Brasil: Movimento quer separar o Espírito Santo do resto do País

13 de novembro de 2016 – 21:20:52 

O Separatismo no Brasil ao pouco vai ganhando mais adpetos e isso pode levar a uma conflitos no país já que a constituição não permite tal atitude.

Em sua página no Facebook, o movimento divulga uma consulta popular para o dia 10 de março de 2018 e incentiva os seguidores a votarem pela “liberdade capixaba”

Oficializado há dois anos, um movimento defende que o Espírito Santo se separe do resto do Brasil. Os membros do grupo separatista “O Espírito Santo é Meu País” já organizam, inclusive, uma consulta popular para saber a opinião dos capixabas sobre a proposta.
Na página do Facebook, o movimento divulga a consulta para o dia 10 de março de 2018 e incentiva os seguidores a votarem pela “liberdade capixaba”. 
Os integrantes da organização vão dedicar o ano de 2017 para conquistar adeptos.
De acordo com o publicitário Guga Lima, fundador do movimento, o grupo já conta com mais de 200 participantes ativos. Na fan page da organização, os membros argumentam que, da lista dos dez países menos corruptos do mundo, nenhum deles é maior do que o estado do Amazonas. 
Para o fundador, a crise política e econômica que o Brasil enfrenta nos últimos anos reforça a importância do Estado ser autônomo.
No Facebook, a página tem mais de 2.500 curtidas Foto: Reprodução/ Facebook

“Viajei para a Europa e reparei que nenhum país é maior que a Amazônia e qualquer país de lá é mais organizado do que o Brasil. O povo do Espírito Santo tem clamado por mudanças e não dá mais para esperar. Queremos separação”, frisa o publicitário.

Hoje, Aracruz, Cachoeiro de Itapemirim, Santa Maria de Jetibá e Venda Nova do Imigrante são os municípios com maior número de integrantes, de acordo com o fundador. 
A ideia é que, na consulta de 2018, todas as cidades capixabas tenham pontos de votação. O resultado será levado para os deputados federais e senadores que representam o Espírito Santo no Congresso Nacional.

“Tem gente que fala que a separação é impossível. Mas, alguns meses atrás, alguém acreditava que Donald Trump seria eleito nos EUA? Não estou defendendo o presidente eleito mas o resultado reforça que não existe isso de impossível”, provoca Guga.

A turbulência política no Brasil não é o único argumento do grupo, que diz que a autonomia do Espírito Santo é importante para preservar a identidade cultural do capixaba. Eles afirmam que os capixabas, hoje, são obrigados a cultivar a cultura de outros Estados.

“Hoje somos obrigados a tragar a cultura carioca ou baiana como se fosse a nossa. Nós temos a nossa própria cultura. As danças, as manifestações culturais deles não nos representam. E a ONU defende o princípio da autodeterminação dos povos, o que legitima nosso movimento”, diz o publicitário.

Lima afirma, porém, que o movimento capixaba não é xenófobo e que não quer a expulsão de moradores que nasceram em outros estados.
O perfil do grupo nas redes sociais também destaca, como justificativa para a separação, que o Espírito Santo é “um dos maiores produtores de petróleo do mundo”, um Estado “privilegiado pela indústria, estações portuárias e uma enorme faixa litorânea” e que “paga ao Governo Federal muito mais que o dobro do que recebe de investimentos”.
Foto: Reprodução/ Facebook “O Espírito Santo é Meu País”
Grupo organiza consulta popular em 2018 Movimentos separatistas se unem no Brasil
Para separar o Espírito Santo, o grupo precisa enfrentar a Constituição brasileira. O artigo 1° da carta estabelece que a “República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal”.
Pensando nisso, cinco movimentos separatistas, entre eles o “Espírito Santo é o Meu País”, lançaram, em São Paulo, a Aliança Nacional, grupo que pode vir a se tornar um partido político e batalhar por uma mudança na lei brasileira.
Participam da Aliança, além do grupo capixaba, organizações de outros quatro estados:
  • São Paulo (São Paulo Livre), 
  • Rio de Janeiro (O Rio é o Meu País), 
  • Pernambuco (Grupo de Estudo e Avaliação Pernambuco Independente – GEAPI) e 
  • Roraima (Roraima é o Meu País). 
Todos eles planejam realizar consultas semelhantes no dia 10 de março de 2018.
Forma de governo
Após a independência, a população de cada Estado teria autonomia para escolher uma nova forma de governo. 

“Nosso grupo tem uma preferência pela Monarquia. Temos, inclusive, contato com a família real. Mas isso será decidido depois, pelo povo. Somos democráticos”, explica.

Sobre as relações com os outros estados do Brasil, o fundador do movimento capixaba diz que os membros querem que o Espírito Santo mantenha um bom contato com os vizinhos e também com países da América Latina. 

“Só não queremos relação com países comunistas, que têm ligação com o PT (Partido dos Trabalhadores)”.

Fonte: Gazeta Online

CG ADM

Olá caros leitores! Meu nome é Hericson, mais conhecido por vocês como CG_ADM. Sou o fundador da rede de noticia militar, Conflitos e Guerras. Espero poder está sempre ao lado de vocês provendo noticias de qualidade.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. “Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal …” Apenas uma minoria antipatriota e utópica no Estado do Espírito Santo é a favor de sua separação do país, porque a grande maioria, tenho absoluta certeza, é contra esse movimento, assim como tantos outros que reivindicam a emancipação, tais como: Nordeste e o Sul. Mas para aqueles que insistirem nessa ideia serão devidamente rechaçados, como aconteceu em outros movimentos no passado na história do país. “Brasil acima de tudo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Don`t copy text!
Fechar

Adblock detectado

Olá caro leitor Detectamos que você utiliza um bloqueador de propagandas. Se puder desabilitá-lo enquanto ler nossas noticias, ficaremos agradecidos